REFUNDAR A LINGUAGEM

Refundar a linguagem, as palavras, as expressões, é preciso!  É da máxima urgência! Mudar atitudes e modos ser, estar e pensar no cotidiano do conviver consigo mesmo, como o outro, os outros e tudo o que vive, tem sido algo fundamental em tempos obscurecidos. Reconstruir uma verdadeira e sensível aliança com todas as formas de vida neste planeta, a partir do respeito e da compreensão amorosa, é tarefa decisiva e cabe a cada um de nós. Se queremos ou almejamos um futuro digno para nossos filhos, netos e netos dos nossos netos, precisamos refundar a linguagem. Sair de uma linguagem bélica para pensar, falar e se expressar, a partir de palavras construtoras de uma realidade que dignifique e vida e tudo o que vive, em todas as suas dimensões. Expressões como “combater”, “lutar”, “destruir” … precisam sair do vocabulário de quem aspira, almeja um futuro saudável, pacífico e pacificador. Um futuro onde a arte de viver numa vida feita com arte, que se enlaça com a arte da vida, é um futuro iluminador de paixões alegres, criativas e potentes de vida plena.

Abraços   ****

Vivi