CORRIDA PELA SOBREVIVÊNCIA

Na corrida desenfreada pela sobrevivência, por atender as exigências das representações sociais, nos distanciamos da potência viva que existe em cada um de nós. A potência, é a nossa força vital, a nossa força criativa, a nossa capacidade de singularizarmos na existência. Quando somos capturados pelas formas prontas da representação, ficamos completamente separados do nosso potencial de agir e nos servimos da reação. Ao invés de agir criando o novo, reagimos repetindo os velhos modelos sociais que nos enquadram em caixinhas que nos despotencializam. Ao nos separarmos da nossa potência, perdemos a alegria de viver e o cansaço, a tristeza, o desânimo, tomam conta dos nossos corpos.

Abraços   ****

Vivi