COMPOR SIM…

Na competição perdemos a nossa capacidade de nos compor com as forças vitais que potencializam nosso viver. Fazer composições, é também se diferenciar e fazer diferenciações para potencializar o campo de forças vitais. Quando ultrapassamos a reatividade, o ressentimento de nossas feridas, abre-se um campo ativo de composições com as forças criativas e doadoras de vitalidade. A competição fragmenta, separa, exclui, viola o corpo de potência. A composição abre as passagens para uma vida preenchida de intensidades. Compor sim e sempre!

Abraços   ****

Vivi