A ALMA COMO ELA É

 Alguns pensadores tem trazido a importância da alma no processo terapêutico. James Hilman é um deles que tem enfatizado esta decisiva importância. A conexão com a essência da pessoa humana permite o  adentrar na consciência, ampliando sua percepção e alimentando sua capacidade de ser o que se é, de ser verdadeiro. O contato através da experiência vivida, somática,vitalizada, impede os subterfúgios da mente. Os discursos mentais sempre encontrarão argumentos para justificar a dispersão, a superficialidade, a preguiça, criando cenários para manter o prazer vazio de vontade própria para mudança. O que acontece com uma pessoa que insiste em permanecer no sofrimento? Insiste em alimentar o feitiço, a ilusão? Quando Hilman insiste em trazer a alma à presença terapêutica, ele ressalta a necessidade de abandonar o autoengano desencorajador. Como diria o filósofo, precisamos lembra que somos potentes, lembrar dos nossos talentos, lembrar que temos uma consciência que nos permite transformar, quebrar paradigmas incrustados em nosso corpo, em nossa psiquê, que obstaculizam a trajetória  humana na direção da felicidade genuína, da capacidade de ser plenamente o que se é.

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *