PREENCHER UM VAZIO

Muitos são os modos de se preencher um vazio existencial. Tem gente que sai em busca de diagnósticos os mais variados, para se convencer de ser portador ou, ter uma determinada “síndrome”. São pessoas que acreditam que ao terem um diagnóstico, o seu vazio existencial será preenchido. Quando o “ter” vira um clichê e cria uma falta, uma insuficiência, o lugar que sobra é buscar no exterior a suficiência, como se isto fosse resolver um vazio existencial. Engano total! Cuidado com o auto engano!

Abraços   ****

Vivi

CULPABILIZAR OU POTENCIALIZAR

Uma pergunta fundamental: culpa ou potência? O que afirma a vida e o viver? O que nos traz alegria ativa, o sentimento de culpa ou o sentimento de potência vital? Investir naquilo que nos potencializa, nos bons encontros, é encontrar os caminhos das composições criativas e ativas. Se nos deixarmos cair na culpabilidade, vamos precisar de um “salvador”, de algo ou alguém que nos tire do buraco. Fique atento ao fazer as escolhas!

Abraços   ****

Vivi

SEGUIR NA POTENCIALIDADE …

Investir nas potencialidades, numa vida intensiva que não é reativa, é uma maneira de viver em conexão com as forças vitais criativas. A reatividade rebaixa a vida e faz do viver um esburacamento permanente. O ser reativo, muitas vezes, está alojado no ressentimento que culpabiliza e ameaça. Estar em conexão com as forças vitais ativas, que agem, que se efetuam com intensidade, é seguir as linhas da potência, da vontade de potência. Não à reação e Sim à ação das forças de composição, do que pode um corpo de potência. Pense nisso!

Abraços   ****

Vivi

A ARTE DA CRIAÇÃO

Em meio a tantas pandemias, somos acionados a todo momento para buscar fórmulas e soluções, buscar explicações racionais que justifiquem os desafios. Embora desafiantes, estes momentos “caóticos” podem oportunizar e gerar necessidades que nos fazem buscar novos caminhos e linhas de ação. Neste sentido, a arte de criar, de compor, de experimentar, traz consigo a potência do que está por vir e do que pode ser criado. A questão é, não se deixar cair nas fórmulas prontas, nas formas e formatações de um possível que já está determinado mas, ampliar a visão, reconhecer as indeterminações e se pôr em criação. A arte de criar, é oportunizar os espaços, é disponibilizar as zonas para que o novo passe, para que o novo se intensifique nos corpos e nas maneiras de ser, para que o inusitado se revele através do sensível. Criar é uma arte e o fazer arte, é ser co-criador na existência.

Abraços   ****

Vivi

INTELIGÊNCIAS

Há quem diga que o humano é dotado de inteligências múltiplas, e há também aqueles que proclamam o ser das multitarefas. Do cognitivo ao afetivo, os encontros acontecem nas relações em efetuação dos corpos. Afetando e sendo afetadas, as inteligências circulam pelos espaços da formalidade e das informalidades em relações mais próximas e também naquelas mais distanciadas. São vivências e experiências onde se aprende pelas vias de uma inteligência que faz uso da razão, da intelectualidade, das memórias, mas também pelas vias da inteligência sensível que todos os seres são dotados mas muitas vezes pouco valorizada. A prática de uma inteligência sensível, pode ampliar o espectro do conhecer e oportunizar relações mais verdadeiras de si para consigo mesmo e de si para com todas as outras pessoas em relação.

Abraços ****

Vivi

SE PERMITIR …

As estruturas formais controladoras da máquina social, insistem que tenhamos que nos manter nas formas estruturadas da moralidade e conveniências. No plano da vida, é se pôr em acontecimento e muitas vezes se permitir até mesmo a  “ser ninguém”, respirar, sentir e deixar o corpo eficiente para se conectar com o corpo de sensações, com o corpo sensível. Com prudência e cuidado, se permitir a pausar, sentir e se perceber, sem julgar, sem racionalizar, sem culpar, apenas estar consigo mesmo. Um pouco de caos faz bem! O caos também faz parte da existência.

Abraços  ****

Vivi

PRATICAR E PENSAR

Praticar é tão importante quanto pensar. É no ato, na ação de acontecer que o pensar cognitivo e sensível atravessa os corpos. O atravessamento que atua em consonância com a força vital, traz consigo o potencial da mudança ao corporificar conceitos, interromper o que não faz mais sentido naquele momento, romper com o que rebaixa a vida e se conectar com o que afirma a vida e as potencialidades vitais do ser. Pensar ao praticar e praticar pensando ao mesmo tempo, disponibiliza as passagens dos devires, daquilo que está por tornar-se, daquilo que pode uma potência em ato.

Abraços   ****

Vivi

E O POLÍTICO …

Falando em política para além das instituições sociais, além dos espaços públicos, existe um espaço que muitas vezes fica imperceptível mas, nem por isso inexistente, é o espaço da intimidade. O íntimo também é político! A intimidade do nosso ser também é um espaço de composição, de diálogo, onde as diversas vozes tomam partido em concordâncias e férreas discordâncias. A “ágora” da intimidade do nosso ser nem sempre é considerada ou percebida como o lugar onde nasce a política. Pense nisso!

Abraços  ****

Vivi

IMPÉRIO DAS MENTIRAS …

Existem pessoas que mentem e sabem que estão mentindo. Existem pessoas que insistem em se enganarem, o auto engano, e ainda insistem em enganar as outras pessoas. Existem as pessoas que repetem um padrão mental ao criar ilusões, ou fantasias, ou idealizações e insistem em negar a realidade para si e para as outras pessoas. Fundamental é perceber e reconhecer que o império das mentiras, é o império dos covardes. Fique atento e não se esqueça que existe uma cumplicidade neste jogo perverso.

Abraços ****

Vivi

EM DISPUTA …

Na disputa pela verdade, na corrida por informações de qualquer jeito, perdemos o sentido de realidade. Mergulhados na ansiedade de querer saber qualquer coisa e de qualquer jeito, estamos sendo levados pelos algoritmos que nos conduzem para aquilo que eles querem que nós saibamos, mantendo assim, o controle sobre os nossos corpos, sobre os nossos afetos, sobre o nosso pensar. No analfabetismo digital, não percebemos que caímos no buraco da insatisfação, da ansiedade, das mentiras, do consumo, da hipocrisia …

Abraços   ****

Vivi