DESAFIOS DENTRO DOS DESAFIOS

Tempos onde as mudanças acontecem intensivamente, muitos são os desafios. Estamos mergulhados em desafios de todas as ordens, no plano social e no plano pessoal. O desafio intelectual para tentar compreender o mundo e os acontecimentos, já demanda em si mesmo, um grande esforço. Compreender sem julgar, sem catalogar ou enquadrar em algum modelo mental ou interpretativo, de uma ordenação ideológica ou filosófica, requer um modo de ver a dinâmica destes novos tempos. Requer uma ampliação de percepção, aliada a uma vontade de compreender os contextos, livre de julgamentos. Compreender o que acontece, tem sido um dos grandes desafios deste momento histórico.

Abraços  ****

Vivi

INVESTIR EM SI

Cuidar do tempo, é também cuidar de si. Cuidar é também acolher, é dispor de um tempo para investir em Si mesmo. Respirar o tempo, respirar a duração do tempo cuidando para não acelerar, é uma experiência pessoal que pode auxiliar no bem estar pessoal e relacional. Cuidar com cuidado, respirar com sentido e percepção, sentir o corpo em seus fluxos e movimentos, dar-se tempo para Si mesmo, é o “investimento” da mais alta preciosidade. Pense nisto!

Abraços   ****

Vivi

FAZER FAZENDO

 Assim aprendemos a andar, a escrever, a esculpir, a poetizar, a cantarolar, a tocar instrumentos e tantas habilidades existentes no humano. É fazendo que aprendemos uns com os outros. É experimentando que ganhamos mais saberes e descobrimos potencialidades. Todo fazer se faz fazendo. É no fazer que descobrimos o que estava encoberto para ser revelado. Lembrando que é dançando que aprendemos a dançar, que é cantando que aprendemos a cantar… Sair do julgamento, da crítica destrutiva, é acreditar, experimentar, fazer e criar. Criar é se diferenciar! É afirmar a vida!

Abraços   ****

Vivi

SOLIDÃO

Tempos pandêmicos são tempos em que a solidão mostra a sua face. Isoladas, as pessoas se encontram nas redes virtuais que a cada dia se intensificam com as boas propostas mas também, com os espaços terroríficos, negacionistas, pessimistas, que despotencializam a vida e o viver. Nestas linguagens entristecedoras e maléficas, encontram-se pessoas que se abandonam de si mesmas e se deixam ser capturadas pelas forças destruidoras da vida. Por outro lado, existem pessoas que descobrem as forças ativas e reveladoras da solidão. São momentos de grande aprendizagem. Encontrar-se consigo mesmo pode ser uma belíssima oportunidade para se conectar com fazeres que jamais poderiam ser pensados. São momentos luminosos!

Abraços   ****

Vivi

UM AJUNTAMENTO …

Quando fazemos os nossos fazeres com o outro, temos a grata oportunidade de nos re-inventar. É com o outro que aprendemos, que experimentamos, que criamos realidades. É quando nos unimos, nos “juntamos” na alegria ativa e afirmamos a vida, que podemos vivenciar as possibilidades de reinvenção de si mesmo. Descobrir algo que estava ali já, mas, encoberto. O ajuntamento alegre e sincero pode tornar a vida muito mais interessante.

Abraços   ****

Vivi

UM AJUNTAMENTO …

Quando fazemos os nossos fazeres com o outro, temos a grata oportunidade de nos re-inventar. É com o outro que aprendemos, que experimentamos, que criamos realidades. É quando nos unimos, nos “juntamos” na alegria ativa e afirmamos a vida, que podemos vivenciar as possibilidades de reinvenção de si mesmo. Descobrir algo que estava ali já, mas, encoberto. O ajuntamento alegre e sincero pode tornar a vida muito mais interessante.

Abraços   ****

Vivi

TROCAS COLABORATIVAS

Quando há entrega verdadeira e genuína, a primeira revelação é uma profunda paz interior. Quanto mais somos capazes de nos entregar em amizade, em alegria de compartilhar, mais amplia a nossa generosidade. Nós humanos somos por natureza seres generosos e dadivosos. A vida é sempre afirmativa. Ocorre que, se nos deixamos cair nos rebaixamentos da máquina social, nos despotencializamos e desembocamos no ressentimento. O ser do ressentimento é um ser triste, e a tristeza do ressentido desemboca no ódio e no ódio não há trocas.

Abraços   ****

Vivi

COLABORAÇÃO …

Tanto se fala em colaborar, mas o que seria verdadeiramente co-laborar? Seria laborar ou trabalhar junto apenas? Sim, mas não somente. Colaborar, colaboração, é a atitude de se dispor ao outro, sem regras, sem exigências de trocas contabilizadas. É se disponibilizar ao outro na gratuidade da alegria de estar junto, de criar, de fazer e aprender junto, livremente.

Abraços   ****

Vivi

USAR A DIFICULDADE

Toda dificuldade é reveladora de algo que ainda está por ser revelado. Usar a dificuldade a nosso favor, é abraçar o difícil e perguntar: o que você quer me ensinar? O que está por vir? Dificuldades são muitas em nossa existência, mas saber fazer bom uso desta força que nos impulsiona para resistir e criar, é também uma arte de um saber viver e dançar com os fluxos da vida.

Abraços   ****

Vivi

MODOS DE VIDA

Modos de viver, maneiras de ser e estar neste mundo, revelam convicções e valores. Os modos de viver, as maneiras e os jeitos como cada pessoa conduz a sua vida e faz as suas escolhas, estão diretamente ligados às maneiras de pensar, de sentir e agir no viver, cotidiano. Como fazemos nossas escolhas, como vemos o mundo e as relações, entre pessoas e a natureza, como lidamos com a linguagem e como nos comunicamos … são todas expressões de modos de vida e de viver. Pergunta: como viver uma vida íntegra em meio à tantas desintegrações?

Abraços   ****

Vivi