QUANDO RESPIRAR …

Cuidar da respiração, é também um exercício de autocuidado. Deixar um pequeno momento do dia para se dedicar a uma respiração consciente, pode favorecer a saúde física e mental. Dedicar alguns minutinhos durante o dia, no começo ou no fim do dia, para cuidar da sua respiração, é um cuidar-se com gentileza e carinho. Sentar-se confortavelmente, com a coluna ereta, conduzindo a atenção para o ato de inspirar e expirar, pode trazer bem-estar, calma e vontade de viver. Quando respirar, procure estar presente e consciente de sua respiração. Vale o investimento!!!

Abraços   ****

Vivi

RESPIRAR CONSCIENTE

A respiração é um ato natural e fisiológico de um ser vivo. Respiramos desde o nascimento. Dez segundos após o nascer, os pulmões de um bebê entram em ação e ele respira pela primeira vez até o último segundo de sua existência. Por ser natural e espontânea, as pessoas não pensam para respirar, mas, respiram. Este é o vivo! Contudo, quando se tem consciência da sua respiração, é possível respirar com mais qualidade. Sabendo que a respiração está diretamente ligada às emoções, respirar com consciência pode qualificar nosso modo de ser e estar neste mundo. Respirar consciente também se aprende! Pense nisto!!!

Abraços   ****

Vivi

AUTOCUIDADO

Perguntas interessantes: você cuida de si? Você cuida do seu corpo, dos seus pensamentos, dos seus fazeres e escolhas? Cuidar-se e cuidar de Si, é dar-se importância, é valorizar-se, é respeitar-se. Lembrar de se cuidar, é uma atitude que nem sempre as pessoas valorizam em suas vidas. O autocuidado, é uma atitude carinhosa que pode ser cultivada com atenção e alegria. Você sabia que cuidar da respiração, através de uma respiração consciente, é também um ato de gentileza e autocuidado?

Abraços  ****

Vivi

CONEXÃO E INTERCONEXÃO …

Abrir um espaço interno de conexão e interconexão pessoal, já é uma grande abertura para o auto acolhimento. Reconhecer em si mesmo “o que me faz bem e o que me faz mal”, o que é produtivo, agregador e potente em minha vida e o que é corrosivo, desagregador e “me deixa despotencializado(a)”. Conexão e interconexão são atitudes fundamentais para a saúde mental, emocional e relacional.

Abraços  ****

Vivi

SENTIDO AO CAOS

A cultura, os meios de “produção” de se fazer a si mesmo ao longo do tempo, através das forças moralizantes, tendem a nos afastar de nós mesmos. No entanto, tempos desafiantes e incertos geram dor e sofrimento. Tempos em que o caos interior e o caos exterior se retroalimentam roubando a nossa vitalidade. No entanto, se conseguirmos dar um sentido à dor, por mais dolorida que seja, se conseguirmos nos conectar com a dor e o caos do interior de nossos sentimentos, pensamentos, de nossa psique, talvez fique menos sofrido fazer a grande passagem que teremos que fazer nestes tempos turbulentos. Dar sentido à dor e ao caos, é trazer a potência vital, é fazer emergir a vitalidade que pulsa em nossos corpos vivos.

Abraços   ****

Vivi

A POÉTICA

Para sobreviver ao caos exterior e interior, o exercício da respiração poética como terapia poética, pode abrir os caminhos de passagem por onde a vitalidade da potência poderá fluir. A terapia poética como exercício de respiração, é um campo de possibilidades de criação e co-criação da existência. A arte de se fazer existir no corpo dos corpos, no corpo das mentes, no corpo dos afetos, pode nos fazer florescer. Trazer as palavras, poetizar-se num mar de palavras livres que fluem livremente, é escolher a liberdade. Escolher livremente a liberdade é escolher a vida e o ser vital e potente que habita em nosso interior.

Abraços   ****

Vivi

UMA ESCOLHA

Viver é fazer escolhas ao longo dos fluxos da própria vida. Viver uma vida plena é ter a coragem de viver afetos, é afetar e ser afetado, é se perceber naquilo que me interessa, motiva e mobiliza a vitalidade do meu ser. É distinguir, sem julgar, o que me interessa, o que me atrai, o que impulsiona o meu ser e me faz mais potente.  É distinguir entre interesses interessantes e interesses interesseiros. Pense nisto!

Abraços   ****

Vivi

ESCUDO DA MORAL

No geral, é muito fácil distinguir os fracos de si mesmos. Aquelas pessoas que se negam a reconhecer a sua fraqueza e se transformar, ou seja, assumir a sua potencialidade. Ser uma pessoa de potência, exige determinação e esforço para se transformar. Os fracos se negam a si mesmos, então, se escondem no escudo da moralidade. Os fracos são aquelas pessoas que julgam as outras pessoas, que idealizam realidades inexistentes, que ditam regras moralizantes para se fazerem corretos e justiceiros. Cuidado! Muita atenção! Os fracos nos fazem fracos através dos discursos morais. Atenção! Não se deixe cair nesta farsa, na farsa da moral que idealiza e projeta.

Abraços   ****

Vivi

COMPAIXÃO

Compaixão e auto compaixão se edificam no plano da ação e não dos discursos idealizantes. Auto compaixão não é auto piedade e compaixão não é medo, culpa ou controle. Quando agimos por medo ou culpa, por piedade ou complacência, por “dó” ou temor, pela obrigação de cumprir um dever, perceba que estas atitudes não estão alinhadas com a compaixão nem com a auto compaixão. Compaixão é uma ação de responsabilidade e compromisso pessoal com o possível da existência, no âmbito da liberdade, da vitalidade da essência de um ser humano digno de sua dignidade. A atitude compassiva não espera nada em troca, nem aplausos, nem méritos. A compaixão é uma ação de autonomia.

Abraços   ****

Viv

SUFICIÊNCIA E FALTA

Ter a clareza do que é suficiente no viver, tem sido fundamental no cotidiano de nossos dias. Saber o que é suficiente para uma vida digna, é respeitar a si, ao outro e a vida do Planeta. Há muitas e muitas pessoas que sobrevivem na total falta de tudo, inclusive de sua dignidade. Quando a miséria se instala, se perde inclusive o senso de dignidade. Porém há pessoas que vivem no excesso, no desperdício, no descartável, no total egoísmo. Distinguir entre o suficiente e a falta, alimenta os caminhos do comedimento, da ponderação, da prudência. O excesso impede o reconhecimento da suficiência.

Abraços   ****

Vivi