VIVER  NÃO  É  SOBREVIVER

Viver é dignidade. É ser parte e componente de algo muito maior do que as rotinas automatizadas de um cotidiano que serve a um modelo consumista. A vida vivida com dignidade acontece na abundância das potencialidades de todos os possíveis evolutivos. Sobreviver é estar à margem, é estar ao lado da miserabilidade de uma escassez que persiste na ignorância. Viver é pulsar com a inteligência da vida, que compartilhar com a vida através do contentamento, da regulação, da justa medida. O viver humano de uma consciência plena, é saber respeitar os limites e se contentar na gratidão por todos os possíveis que a vida oferece a cada momento. Quando se perdem os limites, a intolerância assume a cena e só resta um sobreviver. O que se quer afinal?

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *