UMA VIDA DE VALOR

Sócrates,  (c.469-399 a.C.) afirmava com toda a sua sabedoria: ” a vida que não é examinada não vale a pena ser vivida”. Platão, seu grande discípulo insistia em uma vida pautada pela dedicação e dizia ele: ” algo que se possa verbalizar, como outros ramos do conhecimento; só depois de longa parceria numa vida comum a ela devotada, a verdade brota na alma, como uma chama produzida por uma centelha que salva e, depois que surge, alimenta-se por si mesma.” Questionar as próprias ideias, sobretudo as que mais temos certezas, é uma atitude relevante para se ter uma visão mais precisa de si mesmo. Uma vida que passa à margem da reflexão pela incapacidade ou preguiça de questionar, ampliar contextos, renovar, explorar informações, buscar fontes confiáveis de informação, não vale a pena ser vivida. Viver na repetição automatizada é viver na esterilidade, é negar-se ao próprio viver. Estar presente numa existência é alimentar permanentemente a chama da curiosidade agregadora, a chama da reflexão, do pensar, na busca do saber, do conhecer, do fazer para ser a potência da vida dentro deste imenso universo. Lembrando Platão, o Belo só poderá ser vivido para quem tem o Belo dentro de si mesmo. O Bem, o Belo e o Justo da consciência humana já está, mas, na cegueira da escuridão de quem se nega a ver a própria luz, impossível será vive-lo. Viver é estar na plenitude da Beleza, da Bondade e da Coragem de ser Justo e Verdadeiro.

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *