UMA VIA DE MÃO DUPLA – CÉREBRO E CULTURA

Considerando a neuroplasticidade, toda a atividade contínua muda o cérebro e a mente. O nosso cérebro é modificado pelas nossas atividades culturais seja ler, estudar música ou aprender uma língua. Todos nós temos um cérebro culturalmente modificado, pois as culturas ao evoluírem levam continuamente as novas mudanças ao cérebro. O ser humano recria a história da evolução cultural por meio da neuroplasticidade. Portanto, cérebro e cultura são dinâmicas vivas que se retroalimentam em vias de mão dupla. O cérebro e a genética produzem a cultura e a cultura modela o cérebro. Os exames de neuroimagem evidenciam que o cérebro e o sistema nervoso do ser humano mostram resultados de treinamento inesperados, que alteram o que pensávamos ser um circuito rígido e inalterável. São inúmeros os exemplos a serem citados pelos pesquisadores, que evidenciam que as atividades culturais podem mudar os circuitos cerebrais, como por exemplo, a visão subaquática dos ciganos do mar, que enxergam sob a água. Os pianistas, os músicos que tocam instrumentos de corda, todos apresentam várias áreas do cérebro como o córtex motor e o cerebelo, diferentes dos não músicos. Os músicos que começam a tocar antes dos 7 anos, tem áreas cerebrais maiores e mais interconectadas entre os dois hemisférios.  Os taxistas londrinos apresentam maior volume do hipocampo, que é a área que armazena as representações espaciais. Os praticantes de meditação possuem ínsula mais espessa, que é a parte do córtex ativada quando se presta muita atenção. São exemplos da assinatura de uma cultura e da plasticidade cerebral, que nos permite adaptar a uma ampla gama de ambientes.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *