UM VASO QUE ENCHE OU UMA VELA QUE ACENDE

A reflexão de Montaigne continua sendo inspiradora em nossos dias, quando se refere à criança, afirmando que não se deve considerar a criança como um vaso que se encha, mas como uma vela que se acenda. Se o ensino pedagógico tem como meta última encher a criança e o jovem, com uma enorme quantidade de informações unicamente para passar no vestibular, ficaremos aprisionados na informação e perdemos a formação do ser humano. O que objetivamos com a educação de nossos filhos: enche-los de informações ou acender e estimular o potencial, a vitalidade, a capacidade de reflexão, considerando a formação de uma pessoa humana verdadeiramente humana, justa, compassiva e democrática? Encher de informações ou oportunizar ambientes que estimulem a luz verdadeira da criatividade, da curiosidade, da capacidade reflexiva e crítica, da amorosidade, da capacidade de pesquisa e compreensão da vida e da existência do humano neste planeta azul? Encher ou iluminar a pessoa humana? Aqui não poderemos jamais esquecer das consequências, conforme nossas escolhas teremos as devidas consequências.

Abraços    ****

Vivi

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *