UM POUCO DE STRESS …

Cobrança, competição, desrespeito, agitação, exigências, pressa, polifonias,congestionamentos,contas e mais contas,desafios,são todos fatores considerados estressantes por psicólogos e profissionais da saúde. Como diria Freud, o estresse começa no nascimento, quando falta espaço e precisamos deixar o útero materno. A sabedoria da natureza dotou o ser humano do cortisol, mencionado como o “hormônio do stress”. Sendo ele um esteroide, é produzido pela glândula suprarrenal em resposta ao stress. O cortisol é fundamental para manter normais os processos fisiológicos do organismo durante os períodos de stress. Porém, os níveis excessivamente altos na corrente sanguínea podem deteriorar as funções cognitivas, suprimir a função da tireoide, desequilibrar o açúcar no sangue na hiperglicemia, provocar um decréscimo da densidade óssea e do tecido muscular e ainda elevar a pressão sanguínea. As evidências, por outro lado, sugerem que os níveis excessivamente baixos de cortisol, podem ser associados à depressão e ao colapso nervoso, favorecendo os riscos para doenças inflamatórias. Então como encontrar o equilíbrio? Qual seria a chave orgânica para manter a homeostase? Como promover a autorregulação? Um dos caminhos apontados pelos pesquisadores  para a recuperação mais rápida da atividade do cortisol, tem sido uma “velha” prática : a Meditação, a capacidade de manter a mente focada na plena atenção. Os neurocientistas estão apresentando como resultado de suas pesquisas com os praticantes regulares, que os níveis de cortisol podem ser respondidos de forma mais modulada às situações de transtorno emocional. Oferecer ao organismo oportunidade para se recuperar dos desafios e dificuldades da vida contemporânea em termos psicológicos, vegetativos e hormonais gerados pelos transtornos emocionais, talvez seja mais que uma ideia criativa, mas uma necessidade de saúde pessoal e social.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *