UM MICROSSEGUNDO …

Quando o tema é liberdade, sempre aparecem aquelas pessoas que dizem: “liberdade para mim é fazer e dizer o que bem quero.” Mas será mesmo que isto é liberdade ou é libertinagem? Será que é liberdade ou egoísmo infantil e inconsequente? Se vivemos e convivemos juntos com os outros e na natureza, em que dependemos uns dos outros, não há como se furtar da responsabilidade com as consequências que recaem sobre as escolhas que fazemos. O grande desafio é estar presente em si mesmo, para saber escolher naquela fração de segundo em que uma emoção perturbadora se manifesta. Sempre haverá um microssegundo em que é possível a escolha, caso contrário, tudo se encadeia e se desencadeia. É incrível como um minuto de desatenção pode determinar e comprometer uma vida. Um segundo de raiva, de pulsão sexual, de angústia, de ânsia pelo dinheiro ou até mesmo pela força de uma opinião alheia, pode estragar uma vida, um relacionamento para o resto da vida. Estar atento e vigilante para localizar e vigiar os pontos vulneráveis do nosso ser é fundamental e ainda, aprender quais são os mecanismos que reduzem a nossa energia e colocam nossa vida em risco. Portanto, a liberdade consiste em identificar os determinismos e influências que pesam sobre nossas escolhas e opiniões e se necessário, revê-las, questioná-las, revisitá-las. A liberdade é um despertar para a atenção na preservação dos valores da vida. Saber quais são os valores que protegem e qualificam o nosso viver em comunidade é, a cada segundo fundamental para a nossa felicidade e o bem-estar, de si e de todos e todas.Não há como ser feliz sózinho.  A liberdade comporta limites e a paz só é verdadeira se for para todos, pois não há paz só para alguns.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *