UM DISCURSO QUE PRECISA MUDAR

A cultura de dominação tem nos ensinado ao longo dos séculos que retaliar, vingar, excluir, explorar, intimidar, submeter, desqualificar, é o único caminho “corretivo” para aqueles que não se submetem ao seu controle e mando. As consequências deste modo operacional em nossas relações, é mais que evidente: violência gera mais violência. Neste círculo destrutivo estamos nos acabando todos. Então o que fazer? Precisamos com urgência mudar o discurso. Enquanto agirmos na vingança, embora falando de perdão através das religiões, continuaremos a semear mais discórdias e hostilidades. É perceptível nos diversos espaços sociais um enorme conflito de intenções entre a vontade de punir e a vontade de educar. Algumas pessoas já perceberam este paradoxo, mas ainda somos precários em nossos discursos. Nossas falas e narrativas são eloquentes em retaliação e desejo de vingança. Tudo nos encaminha nesta direção. Se não pararmos para enxergar que estamos perpetuando o mal, contaminando nossas relações com o veneno mortal da violência, seremos vivos-mortos. O primeiro passo nesta longa trajetória é a mudança dos discursos internos, de pessoa para pessoa, no interior do nosso ser. Se dentro de nós mesmos nos autoflagelamos, continuaremos alimentando vingança pela punição destruidora, que não empodera nem responsabiliza, apenas vinga. A vingança é alimentada pela raiva e a raiva gera mais vingança, que gera mais raiva. Até quando iremos buscar alimento no veneno que destrói a pessoa que deseja vingança, muito antes daquele que talvez será o vingado. Interessante é que, nos recusamos a entender este círculo vicioso, doentio e perverso, querendo mais veneno. Até quando? Neste sentido parece que somos “imbecis”. Onde está a nossa inteligência, o nosso discernimento, o bom senso, a nossa capacidade de reflexão, como Seres Humanos dotados de raciocínio?

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *