TEMPO DE COMUNIDADE

A grande crise atual sinaliza um retorno à ideia de comunidade. O isolamento provocado pelas promessas de progresso da tecnologia tem se mostrado inviável e insustentável. O mercado capitalista que inclui alguns poucos privilegiados e exclui uma massa humana, tem evidenciado que a violência chegou aos limites da sua insustentabilidade. Estamos, portanto, em plena mudança. Talvez, o retorno à comunidade faça florescer manifestações altruístas e modos mais alternativos para associações e um comércio mais equitativo. Para a realidade dos fatos atuais, é imperativo que comunidade humana encontre novas maneiras de expressar a generosidade e a solidariedade, como formas mais salutares para se estar juntos. Com as ideias desenvolvimentistas e progressistas, ganhamos muito em quantidade, mas, perdemos a qualidade.Lembrando o sociólogo Michel Maffesoli, estamos diante do “homem sem qualidade”,onde o heroísmo do progresso perdeu o sentido e não podemos mais ocultar as suas desastrosas consequências.Talvez, estejamos vivendo uma passagem paradigmática, onde o estar junto, ganhar todos juntos, com equidade dentro da comunidade, onde o individuo se articula participativamente com um coletivo que se faz junto, consciente e inconscientemente seja a esperança de renovação. Afinal, esperança também faz parte de uma comunidade presente.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *