SER HUMANO – HUMANIDADE E DIVERSIDADE

 

Diante do pensamento disjuntivo quase que impregnado no ser humano, na sua forma de agir, de se expressar e fazer escolhas, a pergunta mais evidente é COMO encontrar as vias que possibilitem a mudança de um pensamento fragmentado para uma forma de pensar e raciocinar mais abrangente, ou seja complexa? Enquanto o humano não se reconhecer na sua humanidade comum em meio à diversidade cultural inerente à condição de humano e ainda situado num universo, lhe será muito difícil sair do lugar da separatividade. Lembrando Edgar Morin, “o humano continua esquartejado, partido como pedaços de um quebra-cabeça no qual falta uma peça”. Talvez o grande desafio para este século seja encontrar os caminhos da complexidade que seja alinhado ao potencial criativo e inventivo próprio da essência humana. Evolutivamente, o humano já possui experiências do cognitivo, já conhece os caminhos da produção de conhecimento, tem experiência de vida subjetiva, reconhece sua capacidade inventiva, já se percebeu incapaz de nomear aspectos do seu viver os quais é capaz de sentir mas, incapaz de narrar, se sabe na sua consciência, mas ainda não conseguiu ser e estar junto com todos os humanos em todas as expressões da vida, do micro ao macro. É capaz de narrar sua história de humanidade mas, muitas vezes é incapaz de se narrar a si mesmo. Isolada e fragmentada, a pessoa humana se sente só. Acionar o potencial com todos os esforços para mudar este modo de pensar, agir, sentir, fazer e conhecer a si e ao mundo, seja o grande desafio para o ser humano, nos próximos tempos da sua existência neste planeta e neste universo.Ser um ser humano na sua dignidade humana e ao mesmo tempo ser diverso, único e múltiplo, são espaços a serem percorridos na trajetória viva da vida humana.

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *