SER ENGANADO OU ENGANAR-SE

Diante de tantos paradoxos frente às atitudes e escolhas de muitas pessoas no cotidiano, fica a impressão de que, ou as pessoas realmente se enganam ou, se deixam enganar. Escolhas e decisões precisam serem pensadas. Sem reflexão cai-se no efeito “rebanho”, ir com a massa. Sabemos que as mídias tem sido intensas no convencimento, de acordo com as “conveniências” de certos grupos políticos, partidários, empresariais, a serviço do capital. Diante dos cenários onde as “falsas notícias” aparecem em cena com certa frequência, a reflexão é fundamental, senão – “enganação”. Paulo Freire foi defensor de uma educação para reflexão, para um saber pensar com criticidade. Todo cidadão deve saber pensar e cabe à educação ensiná-lo a pensar criticamente, ou seja, saber perguntar, questionar, problematizar. Sem reflexão o cidadão é capturado como “massa de manobra”. Pensar e refletir são qualidades intelectivas que toda pessoa possui mas, é preciso ensiná-la a pensar e pensar bem. Existe um outro aspecto importante. Neste cenário pode aparecer um outro personagem: a preguiça! Esta nos impede de pensar.  Sem reflexão somos conduzidos pelas mídias, pelas falsas notícias, pelos estrategistas e manipuladores. Portanto, cuidado! Atenção! Enganar-se é diferente de deixar-se enganar.

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *