SER E FAZER-SE VIRTUOSO

 

As virtudes  correspondem à excelência de uma pessoa, aquilo que ela tem de melhor em si mesmo. Todas as pessoas são virtuosas. Ninguém é desprovido de talentos, méritos e dons. A questão é saber ser hospitaleiro de nossas virtudes, acolhe-las com dignidade. Quanto mais distantes do nosso mundo interior, mais distantes estaremos das nossas virtudes. O distanciamento interno impede o contato, o reconhecimento das nossas excelências, impossibilitando-nos de vivenciarmos  o nosso melhor.  Além do reconhecimento dos nossos dons, é preciso vive-los e disponibiliza-los para as outras pessoas, tornando as nossas relações mais virtuosas. Ser hóspede de si mesmo é se acolher no melhor e no maior, na verdadeira humanidade que cada pessoa traz em si mesma. Só assim poderemos oferecer ao mundo o nosso melhor, o excelente em nós, e certamente receber o melhor do mundo. As virtudes para serem vividas, precisam de espaço e oportunidades. Nossa ação é gerar espaços que oportunizem a sua expressão, caso contrário estaremos traindo a nossa alma, impedindo a manifestação da nossa verdadeira essência como humanos. A tolerância é a face que permite a compreensão. A paciência é face da firmeza e da calma. A pausa é o tempo de brotação para a maturação. A determinação, é o compromisso responsável com a nossa alma, com a vida em todas as suas dimensões.  É o viver virtuoso e o fazer-se virtuoso, que abrem os caminhos e disponibilizam os meios para uma vida de paz. A tão almejada paz interior depende dos meios pessoais que escolhemos para viver e expressar as nossas virtudes, em sintonia com as virtudes e talentos dos que estão à nossa volta. Abrir as portas do coração para hospedar e acolher as nossas virtudes, é talvez um dos caminhos para a paz.

Abraços    ****

Vivi

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *