REGRA DE OURO

Dentre tantos regramentos que aparecem na história da humanidade, a Regra de Ouro perdura até os tempos de hoje, com toda a sua força de validez. Embora a sua precisão objetiva, faça todo sentido nas nossas relações, ainda não conseguimos verdadeiramente viver esta pequena e básica regrinha de conduta; “não faça ao outro, aquilo que não gostaria que fosse feito a você.” Houve quem sustentou a mesma intenção: “ame o próximo como a ti mesmo”. Simples, porém complexo. Por quê? Porque este é o território da Ética.

A Ética é que nos permite a sustentação das balizas internas, tais como: “até gostaria, mas não posso”. É uma ação que acontece no presente, por uma escolha autodeliberada. “Gostaria, mais não posso” significa, abrir mão de um desejo ou vontade própria em função do outro, pois se considera as consequências da escolha como responsabilidade pessoal. Pode ser uma escolha permitida pela Moral, porém não é Ética. São situações evidentes no trânsito, nas filas, nos estacionamentos, onde os privilégios emergem. Se você gosta de ser respeitado, porque respeito é um valor para você, então respeite o outro.

Ética é decisão, fruto de uma escolha pessoal.  Sustentar a Regra de Ouro é tarefa para uma vida inteira. Requer vontade própria, boa vontade, presença, têmpera, adaptabilidade, diálogo interno e externo que se permite a uma negociação franca para encontrar o caminho mais inclusivo e favorável para todos os envolvidos, sejam pessoas, o meio ambiente, o entorno relacional.

Ser ético é ser verdadeiro, leal, honesto, digno da confiança e do respeito de todos, por decisão e escolha autodeliberada. “Amar ao próximo como a ti mesmo”, ainda é algo que a humanidade não conseguiu conquistar.

Já somos capazes de proferir os mais belos e emocionantes  discursos, mais ainda não conseguimos sustentar o que falamos na prática do viver cotidiano, em todas as situações e  instâncias, seja na política, na economia, nas religiões, na justiça, nas relações mais próximas como nas mais distantes. Portanto, a educação e todas as ações e esforços pedagógicos portam uma grande responsabilidade neste cenário, na formação das futuras gerações que serão os futuros líderes e cidadãos do amanhã.

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *