QUEIRA ME ENCONTRAR …

No âmbito da educação, da saúde, da assistência social e até da justiça, muitas vezes os profissionais querem que a pessoa mude seu comportamento, mude hábitos, mude condutas mas, nem sempre se preocupam primeiro em conhecer os contextos onde estão as pessoas. Querem mudança mas, esquecem de procurar o encontro. Uma mudança de comportamento, de um padrão mental, só ocorrerá quando houver um vínculo afetivo, quando houver um reconhecimento pleno e sincero da humanidade do outro. Sem respeito à condição do outro, sem valorizá-lo apesar de tudo que possa ter ocorrido em sua vida e em suas condutas, sem o resgate de sua dignidade é impossível querer qualquer mudança. É preciso compreender os contextos, as histórias, os ambientes que concorreram para um comportamento inadequado. Sem esta compreensão primeira, não haverá qualquer possibilidade de aproximação para ser restabelecido um vínculo de confiança, de afeto, de humanidade. O primeiro passo para um cuidador, seja da saúde, da educação, da assistência social ou qualquer outra área, é empatia e  compaixão na ação. A cura só é possível pelo afeto. Amar é a chave para a transformação, é algo que vai além da empatia, precisa do acolhimento da bondade amorosa que abre as portas para a compaixão na ação. Primeiro encontre, compreenda, para depois pensar em mudança. Primeiro vincule, cuide, respeite, acredite na humanidade e na dignidade do outro, por pior que seja a situação em que se encontre, para depois pensar em mudança. Só um ambiente relacional de afeto sincero poderá transformar. A rigidez quebra, a lassidão não cria uma forma mas, o pulso afetivo do encontro sincero e verdadeiro tem a magia da potência transformadora.

Abraços    ****

Vivi

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *