QUALQUER COISA …

Em meio à crise econômica e societal deste presente, a mediocridade tem se generalizado junto com uma midiacracia. Superficialidade tem sido o tônus operacional que contamina nossas relações. Tendo a materialidade, o consumo consumista e a coisificação como consequência irredutível, junto ao descartável, tudo vai se tornando raso, então “qualquer coisa serve”. No faz-de-conta, das pequenas e grandes mentiras da hipocrisia, no “usa e joga fora”, as relações se contaminam e o “qualquer coisa serve” vai ganhando “corpo” e não se consegue distinguir o valor das coisas e do viver. Portanto, atenção, cuidado!!! Lembrando Marcel Proust : ” de tanto mentir aos outros e também a nós mesmos, deixamos de perceber que mentimos”. Cuidado com “o qualquer coisa serve”, cuidado com a superficialidade, pois a mediocridade penetra no viver, e se torna fonte permanente de conflitos que geram violência. Tudo é tão “sutil” e leviano que não percebemos o adoecimento e a gravidade patológica de nossas relações pessoais, grupais e sociais. A violência se esconde em formas simplistas mas contagiosas. Cuidado, toda atenção é pouca! Qualquer coisa não serve. Ética e estética caminham juntas para um bom estar-juntos.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *