PERGUNTAS FUNDAMENTAIS …

Passar por uma vida ao largo, é negar a própria existência. Existir já é em si mesmo uma grande dádiva. Existir apenas no sobreviver dos automatismos, é negar a si próprio. Existir dignificando a vida como uma dádiva, é aproveitar todas as oportunidades da existência para vivê-la com alegria e encantamento, pela simples razão de estar vivo e pleno. Estar presente nesta vida, ser presente nesta vida pede presença na consciência do viver. Como perceber as sensibilidades, as mutações, a impermanência, os ritmos, as potências, a consciência ativa do existir? Perguntando! Nem sempre existem respostas mas, as perguntas deveriam existir para qualificar o continum existencial.Que mundo é este? O que se deve fazer nele? Como agir? Qual dos meus “eus” deve fazer? Quem de mim está aqui? O que nos faz estar aqui, ser o aqui, ser daqui? Qual seria a forma justa de viver? Onde estou pensando o que estou pensando? ….. em fim perguntas a serem feitas ao longo de uma existência que certamente auxiliarão o existir, o estar junto. Não há vida sozinho, é junto que vivemos. Se qualificamos o cotidiano da existência, a vida será mais “apetitosa”, com mais alegria e contentamento, afinal não há porque temer a potência da vida.

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *