PENSAR – TODO CUIDADO É POUCO

Será que, quando os pensamentos aparecem em nossa mente, paramos para perguntar sobre a qualidade destes pensamentos que estão sendo pensados? Será que me envolvo nos pensamentos, um após o outro, sem me perceber do conteúdo daquilo que estou pensando? Será que, simplesmente vou pulando exaustivamente de um pensamento para outro, sem nenhuma percepção do que está acontecendo comigo? Será que já me perguntei quando me sinto cansada, se é porque penso e penso em avalanches, sem um segundo de pausa para a minha mente? Sabemos que a nossa mente pensa e que os pensamentos querem ser pensados, mas, tenho eu arbítrio sobre eles? Sou capaz de escolher o que penso? É muito importante lembrar que, o corpo vivo não sabe distinguir entre perigos reais e imaginários e reage a ambos, com o reflexo de luta e fuga. Portanto, estar atento ao que pensamos, à qualidade dos pensamentos que abrigamos em nossa mente, pode evitar as respostas biológicas frente à sensação de vulnerabilidade, que tantos transtornos metabólicos,psíquicos, relacionais podem trazer ao nosso viver cotidiano, à nossa saúde física e mental. Esteja Atento!

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *