PENSAR NO OUTRO DIMINUI OS SENTIMENTOS DE POSSE

Quanto mais uma pessoa se mantém auto referendada, apegada aos seus prazeres pessoais egóicos, mais amplia as sensações corrosivas do “eu” e do “meu”. Ter consciência das relações de apego e do quanto elas interferem nos pensamentos e nas emoções, causando divagação mental, distração, agitação e ansiedade, tem sido apontado pelos neurocientistas e pesquisadores como um elemento fundamental para a sustentação da atenção na vida diária. Acalmar a “mente de macaco” sempre agitada e dispersa, de forma voluntária e intencional, contribui diretamente para alterar estados internos egoístas do “eu” e do “meu”. Atitudes pegajosas e egoístas interferem na capacidade humana de ser alegre e cordial. Estados mentais de alegria, de cordialidade, de felicidade, podem ser cultivados através de práticas mentais focadas. É possível educar a mente, para ser mais cordial consigo e com as pessoas com as quais se relaciona. Alimentar estados internos de pensamentos dirigidos ao bem-estar alheio e menos auto referendado, contribui diretamente para a saúde pessoal e para a saúde relacional. O apego a um “eu” egoísta e viciante gera posse, controle, desconsideração, desrespeito, sendo altamente invasivo. São estados onde a felicidade não encontra espaço para ser manifestar. A atitude de estar aberto e receptivo ao bem-estar alheio, favorece as conexões de módulos neurais que se combinam para criar a percepção do eu. Menos egoísmo mais felicidade!

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *