PAZ COMO ATITUDE

 

Enquanto cidadãos do planeta, já entendemos que a Paz não é o oposto da guerra, mas um estado a ser cultivado permanentemente em  todas as dimensões humanas, do indivíduo ao coletivo, do público ao privado. A Carta da Terra apresenta uma belíssima definição da paz: “a plenitude criada por relações corretas consigo mesmo, com outras pessoas, com outras culturas, com outras vidas, com a Terra e com o Todo maior do qual somos parte”. Cultivar um estado de benquerença, de cuidado amoroso, de disponibilidade para a compreensão, de benevolência, de amizade, cordialidade, gentileza, apesar dos acontecimentos que desafiam a capacidade de autorregulação, sobretudo frente às emoções negativas, fazem parte de um processo de autopacificação e aprimoramento pessoal. “Transformar as divergências em oportunidade para convergências na diversidade”, como bem afirma o escritor Leonardo Boff, e entender que os conflitos existem e são naturais, mas não podem jamais serem revertidos em violência, seja ela física ou moral, talvez seja este estado de boa vontade e autocontrole,  uma via para o exercício da paz e a rejeição plena de qualquer manifestação de violência.Paz é atitude e compromisso pessoal, é algo que vem do interior do ser humano a ser cultivado e aprendido.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *