PALAVRAS QUE FAZEM palavras

Há uma dimensão da existência humana onde o terrível e o êxtase se cruzam. Um lugar onde o paradoxal tenta tanger o inefável. Um espaço onde as palavras não conseguem atingir, por mais que se esforcem.As metáforas e os mitos ao longo da história humana, deixaram um legado de narrativas, na esperança de uma aproximação com o mistério. A arte, em toda a sua expressão busca cantar, dançar, pintar, esculpir, colorir com os sons e as cores, os tons e semi-tons, na tentativa de um encontro pelo encantamento, despertar no humano uma experiência de conexão com o mistério, com o indizível.Quem se revela e ao mesmo tempo se retrai na Face-que-não-é-nenhuma-face, no dizer de Joseph Campbell? Seria a beleza capaz de provocar a experiência da Beleza Absoluta? Mas, o que é, onde está, esta beleza Absoluta, que amedronta e encanta? Mesmo que as palavras não consigam explicar o inefável, a poesia, através de sua “arte de fazer a PALAVRA ressoar atrás das palavras”, (Gerhart Hauptmann), continuamente, de geração em geração, toca o coração do poeta para que ele toque os corações humanos com a experiência mágica do mistério paradoxal da vida.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *