ORIENTAR A VIDA

Seriam as leis e normas e códigos, suficientes para orientarem a existência humana, rumo à sua realização pessoal e social?  Como e quem poderia oferecer aos cidadãos os caminhos que possam voluntariamente promover a cidadania ética? A humanidade com toda a sua ciência e desenvolvimento tecnológico já tem com clareza que, as  leis e os sistemas legais não conseguem, porque não conseguiram, orientar a vida humana rumo à sua paz. A lei tem um  alcance muito menor que a ética. A paz interior e a felicidade, assim como a ética não se adquire pelo consumo de conhecimento científico nem pelo consumo dos prazeres oferecidos pela tecnologia. Tanto a ciência, como a tecnologia, são insuficientes para orientar a vida humana. O ser humano precisa de orientação na trajetória de sua existência, para a construção de sua maturidade rumo à sua plena realização. Por sua vez, será que a realização humana está apenas em técnicas e consumo de técnicas e conhecimentos? Já sabemos que não. A felicidade humana depende também do equilíbrio das forças antitéticas. A felicidade humana depende do amansamento do “eu”. Saber ouvir a alma humana, é saber buscar as fontes verdadeiras de orientação para a vida. O humano já começou a despertar para compreender que, as “fórmulas matemáticas” não trazem a ética. A auto ética, é fruto da construção de uma consciência que se faz presente, amorosa e solidariamente, em cada presente de seu viver. Aqui está a orientação para a vida.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *