ÔNUS X BÔNUS

As ideias do “levar vantagem”, sempre aparecem nos modos de viver, de pensar, de se relacionar com o mundo e com as coisas. O crença no ganhar sempre, permeia muitas atitudes do cotidiano das pessoas. Com elas estão as ideias de “salvadorismo”, que também se apresentam nas atitudes do menor esforço, a espera de algo ou de alguém que virá para bonificar, de preferência a “mim”, o “escolhido”. Na linguagem popular também se diz: “não há almoço grátis!” Egoísmos e vantagens não cabem em muitos espaços. Se queremos ser respeitados precisamos saber respeitar a si mesmo  para poder respeitar o outro. Se almejo saúde física, mental, relacional, espiritual,  preciso investir nesta direção, com disciplina, determinação e firme propósito. O bônus precisa do ônus, é uma via de mão dupla. Para ter algo é preciso deixar algo, não há como querer ter só os prazeres da vida afinal, a vida não se resume a uma caixinha de chocolate para um único prazer pessoal. A vida se faz e se processa pela reciprocidade, não há espaços unicamente para vantagens. Se uma pessoa leva uma vantagem, outra pessoa certamente será prejudicada. Tudo é equilíbrio. As injustiças sociais, as meritocracias, os elitismos, se pautam pelo egoísmo sem nenhuma consideração pelo outro e pela comunidade humana. Os preconceitos, os estereótipos também fazem parte de um processo cultural que durante anos impregnou e ainda está impregnado  na mente humana causando hostilidade, exclusão e violência. A responsabilidade é pessoal. Uma responsabilidade de todos e de cada um diante da vida e do viver em comunidade. Não há bônus sem ônus.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *