ONDE ESTÁ A FELICIDADE?

Toda pessoa humana almeja e quer ser feliz. A felicidade está alicerçada sobre dois pilares fundamentais: um nível psicológico e um nível biológico. Do ponto de vista psicológico, sob uma ótica, a felicidade está atrelada às expectativas, onde o contentamento está   vinculado à relação entre o que a realidade nos apresenta e as expectativas criadas. Lembrando que à medida que as condições melhoram, as expectativas aumentam e o pêndulo balança entre a satisfação e a insatisfação. Do ponto de vista biológico, há uma relação entre o prazer e dor. As ciências biológicas afirmam que a felicidade e o sofrimento são as diversas sensações corporais. Estamos felizes quando temos sensações de prazer e infelizes, diante das sensações desagradáveis e dolorosas. Ocorre que o prazer é uma sensação de curta duração. Biologicamente no que tange ao processo evolutivo, estamos aptos a manter a sobrevivência e a reprodução da espécie. Buscamos o prazer e a satisfação para sobreviver e reproduzir juntamente com o sistema hormonal e neuroquímico, em que o cérebro envia suas mensagens ao corpo para mantermos a vida. O cérebro se responsabiliza em produzir sensações de vigilância e de excitação para manter o sistema. Como as sensações agradáveis são passageiras, o humano vai sempre em busca de mais satisfação e aí as pessoas são capturadas pelas drogas lícitas e ilícitas com todos os transtornos e consequências de seu uso indevido. Do estresse ao tédio, as pessoas se mantém numa corrida alucinante na busca bioquímica da felicidade. Então, onde está a felicidade? Talvez valesse a pena uma reflexão: será que, para buscar a real felicidade nós humanos tenhamos que acelerar ainda mais em busca de sensações agradáveis, ou apenas desacelerar. Enquanto a felicidade estiver associada às sensações prazerosas as pessoas não conseguirão encontrar  um espaço interior de bem-estar-bem.

Abraços    ****

Vivi

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *