OLHAR SÓ PARA O EXTERIOR

Uma sociedade aprisionada pelas aparências, acaba aprisionando seus cidadãos na valorização excessiva e patológica por tudo que está na exterioridade do ser. É uma sociedade que rouba o corpo e a mente, subtrai a consciência, enfeitiça o olhar, ensurdece a escuta, oferecendo como alimento o apego à  vaidade. É uma sociedade do fútil, das superficialidades.  “ Aquele que olha para o exterior com excessiva fixidez torna-se canhestro interiormente.” Chuang Tzu. O equilíbrio sadio valoriza o dentro e o fora mas, reconhece que é a partir do interior que a verdadeira harmonia da alma se manifesta. Uma harmonia que liberta o corpo e a alma no equilíbrio do ser.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *