OBSOLÊNCIA PROGRAMADA

No imperativo do prazer do “novo” capitalismo, orientado para o consumo imediato de bens, a obsolência é programada e já vem embutida no ato da compra. O uso do cartão de crédito favorece a satisfação imediata dos desejos e o capitalismo “parasitário”, como afirma Zygmunt Bauman, se encarrega de manter o consumo em ritmo veloz, onde tudo se liquefaz. Desatentos e desprovidos de reflexão, somos capturados por este modelo moderno de controle, que molda nossos corpos e nossa subjetividade para manter aprisionado o consumidor, na condição desejosa para mais consumo. Descarta-se, pois já na compra o produto se torna inadequado e o processo continua. Com uma face irreconhecível de flexibilidade, volatilidade, velocidade e adequação, para uma contínua “reengenharia”, o sujeito é capturado por um modelo de controle, o capitalismo cínico. Nosso maior cinismo é saber, mas fingir não saber de que sintoma estamos padecendo.
Abraços ****
Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *