O VIVO – UMA ORDEM QUE PULSA

A vida prossegue pela via da ordenação. Quando a ordem inexiste, a força do vido fica comprometida. A ordem dos organismos vivos não é uma ordem estática, mas, uma ordem dinâmica, como é a própria vida. Uma ordem que pulsa com o pulso do vivo, que é mutante, por característica intrínseca. A célula viva tem membrana, mas a sua membrana é permeável. É a permeabilidade pulsátil da célula viva que permite manter o sistema em equilíbrio. A consciência humana permite a compreensão de que há um pulso em sinergia constante, com todos os outros sistemas vivos, dentro de uma ordenação, onde as trocas são efetuadas, para manter a qualidade viva dos organismos nas suas ecologias. Ser consciente de sua consciência no processo maturacional exige uma pessoa, cuja atenção se faça presente no cotidiano do seu viver. Autopercepção de si mesmo e autogestação de si mesmo, são qualidades a serem cultivadas ao longo de uma vida. Um ser que escolhe maturar, ser potente, ser mais humanizado, beneficiando a si e a todos a sua volta. Dignidade e coragem andam de mãos dadas. Ser digno de si e da vida, é ter a coragem de sustentar-se como ser biológico, histórico, cultural, social e humano. Como humanos não estamos prontos. A humanização da pessoa humana é uma instância a ser aprendida, construída, cultivada. Nascemos humanos, mas, ainda não humanizados. É a consciência viva e a experiência incorporada do amor incondicional, que pode libertar a pessoa do aprisionamento das emoções destrutivas. É a compreensão amorosa que poderá dissolver mágoas, ressentimentos, mesquinharias, fruto da ignorância. Saber pulsar, ser mutante com a vida, é ir além da maturidade, é ser sabedoria. Se fixar na rigidez de uma ordem, é negar a magnitude da vida.
Abraços ****
Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *