O VALOR DA ATENÇÃO

Atenção hoje é uma palavra que está na ordem do dia.  Atenção e seus transtornos nunca estiveram em tanta evidência, sobretudo quando o tema é medicalização. Distraiu, tem remédio. Divagou, tem remédio. Agitou tem remédio. Este tem sido, um certo modo de gerar mais distração, que encobre o verdadeiro sentido da ATENÇÃO. A atenção está diretamente relacionada com a qualidade da presença nos acontecimentos, na forma como vivemos as múltiplas experiências da nossa existencialidade. Atenção e presença, compõem os dois braços de uma só pinça. Uma pinça que se movimenta no cognitivo e no somático continuamente, como um ato de inteligência e de corporeidade.  É a consciência e a sabedoria do manejo destes elementos, que nos permite fazer escolhas e tomar decisões. Embora que o sentido da atenção esteja disponível a todos os seres humanos vivos, ela necessita de aprendizagem e cultivo, pois a sua fugacidade nos conduz à distração. Ser atento é um valor que não tem preço, mas, tem o custo do esforço da dedicação autodeliberativa, pois requer aprendizagem continuada. Como uma habilidade, a atenção pode ser treinada e uma vez consciente e muscularizada, é de um valor incomensurável, pois, é ela o elemento que tem o “poder” de evitar sofrimentos inecessários em nossa vida. Atenção também se pratica no exercício diário do viver, nos encontros e nos acontecimentos. Quando a medicalização reduz a atenção a transtornos apenas, negando seu potencial educativo, formativo e transformativo, um sujeito com um pouco de perspicácia, poderá perceber que esta é uma conduta que está a serviço de um capitalismo predatório.

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *