O ROSTO …

Emmanuel Lévinas (1906-1995), extraordinário filósofo, que propôs romper com o círculo egoísta de uma tradição filosófica, através do questionamento ético, considera  o Rosto humano, na relação inter-humana, como o começo da inteligibilidade, sendo o encontro com Outrem uma responsabilidade pessoal. Neste encontro responsável, aparece a justiça, que comporta uma relação do incomparável uma vez que, cada ser humano é único, portanto, todo Outrem é único.Desta relação de justiça, nasce a equidade e com ela uma sabedoria do amor.O Rosto está nu, despojado, exposto na relação, compondo uma relação recíproca, mas, antes e ao mesmo tempo, uma relação por quem eu sou responsável. Aqui nasce o acontecimento ético, a possibilidade de um-para-o-outro na aventura existencial com o próximo.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *