O QUE NOS OBSCURECE ?

 

A mente em seu estado natural é brilhante, iluminada, bem aventurada. Equivocadamente, muitas pessoas querem buscar a sua iluminação sem saber que este potencial de luminosidade já nos foi dado, já existe em si. A questão é acessá-lo e mantê-lo vívido em nossa consciência, em nossos dias e ao longo de nossa existência. Porém, existem alguns elementos que obscurecem a nossa verdadeira luz. São eles: a ânsia sensual e o desejo desmedido, a má fé nos pensamentos e ações, a negligência e o torpor, a agitação ansiosa e por fim, a dúvida predatória. Os desejos incessantes roubam a nossa bem aventurança e com eles a ansiedade que nada consegue saciar. Aqui os sentidos não encontram saciedade, estão sempre ansiosos querendo mais e mais. A má fé, sempre quer levar vantagem em tudo, nas pequenas coisas, no total desrespeito. São as segundas intenções, que obscurecem a vitalidade e empobrecem a qualidade do nosso ser e estar no mundo. A apatia e com ela a preguiça, rouba a nossa capacidade de generosidade, gentileza, cordialidade, empatia e alegria amorosa. A agitação impede a atenção, gera irritabilidade, pessimismo, intolerância prepotente, impedindo uma visão ampla e contextual. Agitados, perdemos a paciência e  a capacidade de compreensão desaparece, queremos resultados imediatos que atendam exclusivamente os nossos desejos egoístas, nos infantilizamos. A dúvida perversa oblitera a capacidade de aprendizagem, gerando constante insatisfação. Ela desconfia de tudo e de todos, é destrutiva, pois nada é confiável, nada é suficiente ou está bom, quer sempre “levar a melhor”. Estas são atitudes que permeiam a nossa mente, contaminam o nosso meio interno, contaminando os ambientes de nossa convivência, sendo fonte de sofrimento para a pessoa em si e para todos os que estiverem à sua volta. São padrões deletérios de comportamento, que geram miserabilidade.  São todos provenientes da grande miséria humana: a ignorância, que paralisa a percepção e bloqueia a capacidade de querer compreender. Deixar de ser fonte de sofrimento para si mesmo, para as demais pessoas e seres viventes neste universo, talvez seja um dos grandes desafios para o ser humano. Fazer esta mudança interna, sair da ignorância para acessar a luz do discernimento, acredito ser um passo tão grandioso como foi a descoberta do fogo na história da humanidade. Agora será a descoberta do “fogo interno”, da “luz interna”, que ilumina a nossa existência, nossos pensamentos e escolhas, afinal é algo que já está dado, basta apenas querer acessá-lo.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *