O QUE NÃO EXISTE

A comunidade humana se encontra diante de um período histórico em que “não existe mais” e “não existe ainda”. Estamos suspensos entre estes dois pontos de uma crise de autoridade, de representação, de governança e direitos. Os modelos anteriores já não funcionam mais, estão obsoletos e “ainda” não encontramos as referências necessárias para um novo direcionamento. Uma situação e uma realidade onde a instabilidade das incertezas insistem em querer encontrar algo. Na medida em que novos projetos ou proposituras não surgem no cenário das ideias, mais especificamente, político, a tendência é a volta aos modelos tradicionais do controle. Tendemos a voltar aos fundamentos, ou seja, aos fundamentalismos.  Portanto, toda atenção é pouca, pois na vulnerabilidade do não existente qualquer “coisa” pode acabar servindo!

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *