O  QUE  DEVEMOS  SER  AFINAL?

A regra de ouro presente em todas as tradições religiosas e culturais, sinaliza o caminho do “dever” humano e sua responsabilidade diante da vida e das relações com a vida. O cerne desta questão – “o que devemos ser afinal? –  equivale a saber o que queremos ser neste mundo e nesta existência. Se quero paz, é fundamental que eu seja uma pessoa pacífica, tolerante, compreensiva. Se quero respeito e responsabilidade, é fundamental que eu seja, no pensar, no sentir e no agir, uma pessoa respeitosa, responsável e confiável. Se quero honestidade, preciso ser honesto em todas as minhas atitudes. Ser honesto comigo, com o outro e com todos os outros e minha comunidade. Se entendo que o mundo precisa de mudanças, que os valores ainda não estão sendo respeitados e preservados em todas as instâncias de atuação do ser humano, então o único caminho que tenho é “ser a mudança que quero ver no mundo”. Tudo é uma questão de atitude, de compromisso auto deliberativo, de coerência entre o pensar, o sentir e o agir. Coerência entre o falar e o fazer. Aqui está inserido o ato ético.

Abraços  ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *