O OLHAR DO OLHAR

Diz o poeta que os olhos são a janela da alma. Pergunta o pensador : com que olhos tu olhas o que olhas? O cientista diz: tudo depende do olhar do observador. Um olhar sempre pode ser revelador. Conforme o ângulo, a abordagem, o requadramento, podemos ver coisas completamente diferentes. Não olhamos apenas com o sistema ocular, com o aparelho anatômico e fisiológico da visão mas, olhamos através das nossas memórias, das nossas experiências pessoais, através das vivências nos ambientes nos quais convivemos, através da cultura, do tempo histórico, são todas lentes através das quais olhamos o mundo e os acontecimentos. Olhamos através da atenção ou da distração. Olhamos através das emoções e sentimentos, através da percepção. Olhamos através da “visão de mundo” que temos do mundo, através dos processos pessoais de aprendizagem no cotidiano do viver e conviver. De acordo com o olhar e com todos os diversos olhares,  interpretamos o mundo, apreendemos o mundo e nos manejamos no mundo. É o “olhar do olhar” que direcionará a capacidade de compreensão do mundo em seus contextos. Direcionará a atitude receptiva de querer compreender o mundo e os acontecimentos ou a atitude de bloqueio, rigidez ou negligência frente ao mundo, suas relações e histórias. Saber ver com clareza e olhar com atenção, também é fruto de uma consciência que se disponibiliza a querer compreender, maturar e crescer. Julgar sem contextualizar nos imediatismos impulsivos e reativos, sempre poderá causar distorções da realidade e com elas, hostilidades e hostilizações portanto, olhe com atenção e cuidado aquilo que olhas.

Abraços    ****

Vivi

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *