O  INCERTO

Certezas trazem seguranças, afastam ameaças e de alguma maneira pressupõe confiança. Contudo, o que realmente pode ser referência de certezas em tempos de tantas mutações?  Além do mais, se tudo que vive é dinâmico e se transforma, a impermanência é uma constante. A razão precisa de certezas, mas, as mudanças sempre estão em cena. Enquanto a lógica da razão tende a modelos de  previsibilidades,  as emoções, as sensações e até os pensamentos são passageiros, fugazes e mutantes.  A natureza viva , os organismos vivos mudam, se adaptam, se transformam conforme as contingências do meio. Embora que, o vivo tenha o seu “projeto”, consta desta organização as mudanças e com elas a incerteza. A mente racional e racionalizante, planejada e controladora, encontra dificuldade em lidar com o incerto. A impermanência e as mutações estão sempre colocando desafios para uma mente que se pauta exclusivamente pelas certezas. Considerar o incerto é fundamental para compreender os organismos vivos, sobretudo em tempos onde as mudanças passam a ser a constante, os contornos se mostram caóticos e o futuro é incerto. Compreender estes cenários com clareza e discernimento, pode facilitar a convivência consigo mesmo e com o mundo e ainda, o auto manejo com os  sentimentos, os pensamentos e as sensações que estão e sempre estiveram, em constante mutação.

Abraços   ****

Vivi

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *