O HUMANO COMO CAPITAL ?

Quando o ser humano é considerado como capital, contabilizando sua existencialidade inclusive, a percepção é de que algo deste humano está perecendo. O neoliberalismo pressupôs reformular radicalmente a sociedade tomando como base o modelo empresarial, lembrando Foucault. Quando a forma econômica do mercado passa a ser a referência e  um padrão para todas as relações sociais, tudo acaba se reduzindo a uma contabilidade do perde-ganha. É um discurso que se dirige ao humano  como sendo ele um “capital”, onde se agrega um valor social lucrativo às suas condutas e emoções. Estamos diante de um modelo calcado numa lógica econômica, incluindo a instância educacional. Temos transformado a escola em um dispositivo de fornecimento de capital humano para empresas, relegando a face humanista da educação como formação integral do ser humano. Estamos reduzindo o cidadão em trabalhador, que irá atender as necessidades produtivas e produtoras do mercado. Onde queremos chegar? Seria o sujeito humano uma peça da engrenagem para servir à lógica econômica? Cuidado! Atenção! Crescimento econômico e desenvolvimento humano, são duas instâncias que exigem reflexão.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *