O ESTADO OU A CONSCIÊNCIA ?

Onde encontrar o caminho da felicidade e da realização humana? Quem pode oferecer os direcionamentos e salvaguardar os propósitos da existência? A quem cabe a responsabilidade do bem-estar-bem pessoal e social: ao Estado, à Política ou às Religiões? Apesar de todo o avanço científico e tecnológico, estas perguntas ainda estão por serem respondidas. Durante anos coube às tradições religiosas a preservação de um estado convivencial ordenado e equilibrado, sustentado pelas “leis divinas” que imprimiram uma certa ordenação na conduta humana, no sentido de manter a ordem moral propondo uma distribuição mais igualitária da riqueza. Com o surgimento da ciência que permitiu o desenvolvimento da tecnologia, a realização humana rumo à felicidade e diminuição do sofrimento passou para as mãos do poder político, com o crescimento das indústrias e o avanço do comércio produtivo. Contudo, a distribuição da riqueza acentuou em desigualdades, gerando mais sofrimentos, desigualdades e infelicidades. O poder do Estado, suas leis, normatizações, punições, restrições, coerções, também  não conseguiu promover as condições para que as pessoas pudessem viver em paz. Uma vida feliz se realiza pelo exercício equitativo entre a liberdade e a  ordem, em permanente processo de equilíbrio. Um equilíbrio que não advém de interferências normativas externas mas, algo conquistado por uma consciência atenta, desperta que pode conhecer e conhecer-se. A realização humana não é algo simplista. É fruto de uma construção humana, através do alinhamento vivo de consciências, que se disponibilizam a compreender os fundamentos e os propósitos da existência.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *