O CÉREBRO NAS REDES DE CAMINHOS

Quando fazemos uma leitura, seja um livro, um blog, a mente constrói um certo modelo mental que permite a compreensão do que está sendo lido e ainda, as ligações com as memórias cognitivas e as experiências que a pessoa tem sobre o assunto em referência. Essa rede de compreensão em expansão é a base da aprendizagem. Durante a leitura, o cérebro constrói uma rede de caminhos e incorpora todo um conjunto de idéias e experiências. Quando há divagações durante a leitura, enquanto o cérebro está construindo suas redes comunicacionais, maior será a possibilidade de haverem “buracos” conectivos que obstaculizam a compreensão do que está sendo lido. Além disso, quanto mais cedo ocorre o lapso de distrações na leitura a partir do início num texto, a tendência é que mais “buracos” conectivos se formem impedindo a compreensão, o aprendizado e a contextualização. A internet é um exemplo típico. Dentro do bombardeio de textos, imagens, videos e mensagens as mais variadas que chegam à tela on-line, o inimigo da compreensão fica evidenciado. Na internet, uma “leitura profunda” exige alta concentração do leitor para se manter concentrado no assunto, sem ficar “beliscando” factoides desconexos. Para uma leitura de qualidade, com aprendizado e compreensão, a sustentação do foco atencional e da concentração, fazem toda a diferença no resultado final.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *