O BELO

Viver o Belo, ter a experiência do Belo, da Completude, é se colocar em sintonia humilde com existência. Deixando os desejos, se libertando das apetências utilitárias, de uma vida dispersa e indo na direção unificada da contemplação concentrada, desinteressada, onde o amor, simplesmente o amor e a felicidade genuína, possam aflorar, é uma decisão e um compromisso pessoal. É um valor de vida. Se, “o artista é o sacerdote da beleza, esta deve ser buscada segundo o mencionado princípio de seu valor interior. A beleza somente pode ser medida pelo critério da grandeza e da necessidade interior, que tão bons serviços nos prestou, até aqui. É belo o que brota da necessidade anímica interior. Belo será aquilo que seja interiormente belo” Kandinski.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *