NOSSAS CRIANÇAS ….

Até quando vamos continuar alimentando o círculo que desumaniza  nossas crianças? Até quando vamos nos omitir de ver e agir, em favor das nossas crianças que são vítimas da nossa negligência? Até quando vamos “fazer de conta” de que ao negligenciarmos nossas crianças estamos negligenciando todos os seres humanos? Até quando vamos continuar de olhos fechados e coração petrificado, por uma violência que insistimos em  negar que não existe? Em fim… até quando…? Sabemos perfeitamente que uma criança negligenciada é um adulto abandonado de si mesmo. Ao entrar neste círculo vicioso e opressor do capitalismo, que suga nossa alma, nosso corpo e nossa dignidade, roubando nosso tempo e com ele o nosso respeito pelos nossos próprios filhos, estaremos nutrindo este círculo de infelicidade e violência. Trabalhar para produzir, consumir e se endividar, para ter a falsa sensação de direito ao pertencimento, completamente esgotados em nossa humanidade comum, esta é a nossa realidade. Um sistema que rouba nosso tempo de vida, nossa capacidade amorosa que nos permite ser compreensivos, pacienciosos, tolerantes e responsáveis pela vida de nossas crianças. Se a nossa dignidade, a nossa humanidade, não são preservadas e honradas, não poderemos jamais dignificar e honrar nossas crianças que tem que se submeter aos nossos ritmos cotidianos desprovidas de acolhimento e carinho. Este é o círculo vicioso e predatório da nossa civilização, do processo civilizatório. Então, isto é ser civilizado? Como querer adultos responsáveis e cooperativos, se estes adultos tiveram sua dignidade violentada na infância? Será mesmo que uma criança precisa de coisas ou precisa de afeto? Algumas crianças são roubadas pela falta total das mínimas condições de sobrevivência, outras são roubadas pela falta total, das mínimas condições existência pelo abandono, ambas estão na miséria humana. Então como ainda querer que estas crianças ao chegarem na adolescência, juventude e adultez, possam responder a este  mundo que as oprime  com mansidão, honestidade e responsabilidade. Fala-se em sujeito de direitos, mas, onde está este direito? Enquanto não reconhecermos esta condição vergonhosa da nossa sociedade, que somos todos nós adultos e cidadãos deste planeta, não seremos capazes de sair deste círculo vicioso da violência gerador de violência. Se queremos de fato, uma sociedade mais digna, teremos que honrar e respeitar, dignificar e amar nossas crianças, nossos filhos, todos, sejam eles biológicos ou não, pois são e serão sempre nossos filhos e portanto nossa responsabilidade.

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *