NARRATIVA ORGÂNICA

“Vamos chacoalhar o chão onde sonham os que estão adormecidos” – Shakespeare. Acordar para o real, ver o que acontece no cotidiano do viver das pessoas que não suportam mais discursos puramente “intelectoalóides”, de uma “ignorância documentada”, talvez seja mais que uma necessidade deste presente contemporâneo, mas uma exigência de um pensamento crítico. Não há mais lugar para erudições baratas, enquanto a realidade das massas humanas em todos os cantos do planeta, se dirige pelos caminhos  da sua dignidade, uma necessidade orgânica de acesso às expressões de tudo que se diz contemporâneo. Discursos estéreis estão na esteira do insuportável. Há que acordar do sonho eterno e começarmos, juntos, uma fala honesta a partir do vivido, do experimentado, daquilo que diz de um organismo vivo, pulsante, de instintos, paixões e consciência. Dar sentido ao vivido, ligando-se novamente ao que todos nós humanos vivos, fazemos parte, no estar-juntos, talvez seja nossa maior tarefa para este novo tempo contemporâneo, “pós-moderno”. Sonhar com a esperança de que podemos juntos, religarmos um conhecimento vivo, visceral, orgânico, através das nossas trocas capilares e arteriais de nossas circulações, requer abrir nossos olhos sinceros e livres para a realidade do viver societal, sem o qual não haverá sobrevida. Acordar para a vida e fazer dela nosso bem maior, é ter a coragem de Ser Vivo e Potente na Infinita Rede da Vida.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *