MUDANÇA QUE FAÇA SENTIDO

O ensaísta e filósofo cultural fazendo referência a Thomas Mann afirma que, “a convicção de que a capacidade de mudar-se a si mesmo é a obrigação moral mais importante”. Uma visão mais ampliada da condição humana no processo civilizatório, implica na capacidade de adaptação, considerando a imensa diversidade. Mas ao mesmo tempo, há quase uma exigência de compromisso pessoal com a mudança interna. Considerar a  necessidade de uma vida significativa, sustentada pelo valor da verdade e da dignidade humana tem sido uma necessidade moral mas igualmente biológica, sociológica e ética diante dos desafios apresentados. Mudanças não no sentido de verdades salvadoras, mas mudanças precisas e pontuais, conectadas com o possível de cada momento dentro dos ambientes. Conclamar a arte, a beleza, as histórias, na tentativa de libertar a alma humana do medo, do ódio, dos apegos a padrões culturais muito bem utilizados pelo capitalismo de livre mercado, auxiliando o ser humano em sua viagem pela vida ao longo de sua existência. Este é mais que um compromisso é uma ‘obrigação moral’, sair da zona de conforto da negligência e para agir com criatividade, bondade amorosa, compaixão, alegria empática e firmeza de propósitos.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *