MENTIRAS QUE CONTAMOS PARA NÓS

Para fugir da realidade da existência, da realidade dos fatos da vida como eles verdadeiramente são, abrimos caminhos para as “rotas de fuga”. Ver a realidade como ela é, não é algo tão simples para uma mente que aprendeu a se boicotar, então  contamos mentiras para nós mesmos. Mentiras que nem sempre percebemos, mas que, alimentam continuamente o jogo teatral que representamos para nós e para o mundo. São os escapismos da mente. A negação, a repressão, o racionalismo, as projeções, são todas formas para não ver a realidade do nosso viver interior e da vida como ela é. O grande problema é que ao negar a realidade, ao reprimir, ao projetar, distorcemos os fatos da existência, criando ilusões que causam sofrimentos para nós e para os outros em nossa volta. Para evitar a realidade, para evitar a dor da realidade, fugimos para a sabotagem ou para a distorção, ou para a enganação, então mentimos para nós e para os outros.Uma das causas do sofrimento é a resistência às mudanças. A experiência cultural da criatura humana é querer preservar o controle da existência e dos fatos da vida, então confundimos o que é efêmero com o que achamos que é permanente, ou deveria ser permanente. Temos medo e portanto, reagimos a qualquer possível ameaça de perigo e o medo por sua vez, gera a ansiedade de um possível perigo futuro. Caímos nas armadilhas da mente, ou, nas armadilhas do ego, o local da ignorância. Pergunta: que mentiras tenho contado para mim mesmo?

Abraços  ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *