MAIS-MAIS OU GANHA-GANHA

Olhar para o mundo tal qual uma grande “torta” a ser dividida entre todos os “convidados de uma grande festa”, se um pegar ou se apropriar de um pedaço maior, certamente um outro terá que ficar com um pedaço menor. A visão estreita do mundo, sustentada pelos critérios do privilégio, tem gerado inúmeros problemas que as religiões ao longo da história, apresentam suas alternativas para resolver tais questões. A modernidade, tendo como base a crença no eterno crescimento econômico, insiste nesta estratégia como sendo essencial para resolver estes problemas. Se os convidados aumentam, é preciso aumentar o tamanho da torta, então é necessário produzir mais e mais. Contudo, o crescimento desenfreado, vai gerar mais necessidade, de mais e mais coisas a serem consumidas, em detrimento das relações familiares, dos valores universais, dos habitats ecológicos. Quem sabe se houvesse a possibilidade de se pensar numa forma de ganha-ganha, ondes todos podem ser contemplados com um “pedaço de torta” equitativo. Para tal, seria necessário um outro olhar em relação ao “como” fazer a divisão desta “torta”. Quais seriam então os critérios? Já é possível reconhecer que o crescimento econômico desenfreado, associado à má distribuição e ainda sem juízo ético, trará mais problemas. A roda capitalista e suas crenças, necessita de uma reinvenção. Não há sustentabilidade para um jogo onde, alguns poucos privilegiados ganhem e muitos fiquem à margem do jogo e do possível pedaço de “torta”. Um olhar dinâmico e contextualizado, pode considerar o ganha-ganha, onde todos tem a possibilidade de ganharem, mas…”como” realizar? Como mudar as tais crenças?

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *