LIBERDADE É TAMBÉM RESPONSABILIDADE

Todas as pessoas querem ser felizes, como também, não querem o  sofrimento. Contudo, o que significa ser feliz? O que é o sofrimento que tanto queremos evitar? Ser feliz é se sentir realizado na vida? Mas, em que sentido? O que é ser realizado? É ter dinheiro, posses materiais, status, é ter fama, é ser reconhecido? E o sofrimento? Seria o sofrimento o oposto da não realização material e social?  Quando me sinto feliz? Qual é a sensação, quais são os sentimentos que brotam do meu ser quando me sinto feliz? Por outro lado, quais são as sensações e sentimentos que advém do meu ser, quando me sinto infeliz ou sofrendo? O ser realizado é o ser pleno, é a pessoa  conectada aos seus sentimentos e sensações. É a pessoa que se reconhece e portanto, pode manter em si um estado de plenitude, apesar dos desafios internos e externos. Ser realizado, é ter a capacidade de se compreender e compreender os outros, sem julgamento. Pela amplitude de percepção, uma pessoa  realizada, é capaz de compreender a interdependência, as interconexões da vida, nas relações, nos contextos históricos, ambientais, éticos, valorativos. A atitude de receptividade para a compreensão a partir de um processo reflexivo, de querer entender os cenários relacionais que se formam ao longo do viver biológico e cultural, traz a grande liberdade. Uma liberdade conquistada e com ela, na mesma proporcionalidade, a responsabilidade. O sentimento de plena realização implica em responsabilidade, pelo compromisso livre de sustentar os valores que preservam a qualidade da vida e do viver junto, com todos os seres na diversidade dos ambientes. Ser livre, é ser responsável. Liberdade desprovida de responsabilidade, é libertinagem. A liberdade interior caminha ao lado da sabedoria, pela vigilância introspectiva nutrida pela capacidade amorosa de compreensão.

Abraços    ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *