INTEIREZA E COMPLETUDE

Cada uma a seu modo e com suas particulares expressões, todas as tradições espirituais mencionaram a inconfundível sensação de completude e inteireza do ser. Uma experiência a ser vivida, muito mais vivida do que falada, mesmo porque, não há linguagem que possa expressar a experiência do “uno”, da inteireza do ser.  A ciência tem se dedicado a compreender o que acontece no corpo e em todo o sistema nervoso, quando uma pessoa chega a um estado de plenitude, quando uma consciência acessa um estado de inteireza e completude. As tradições espirituais apontam os caminhos mas, esta é uma experiência de “primeira pessoa”, absolutamente pessoal e imprevisível. É uma experiência epifânica! Uma experiência que transcende a vontade, onde  a razão e a intelecção não conseguem se aproximar. Sentir-se pleno, na inteireza e na completude do ser, na integração com todos os seres, com todo o universo, onde a consciência transcende o tempo e o espaço deixando apenas um eterno presente … Os místicos, os artistas, poetas e músicos em todos os tempos históricos e de todos os cantos da terra, de alguma forma apontaram para este horizonte. Sentir-se na inteireza do ser, é viver na plena atenção do presente de cada momento, de momento a momento, onde a vida é o que ela é.

Abraços   ****

Vivi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *